Loading...
Dossie_CQM Created with Sketch.

Dossiês recentes

Capítulo 6

Deficiência

Na luta por inclusão e respeito

Só pessoas com deficiência e quem convive com elas sabem o que é ter que enfrentar esse tipo de preconceito.

 

Total capturado - 45.873 menções.

A intolerância relacionada à deficiência passa muitas vezes despercebida no debate sobre ódio na internet, o que não significa que ela não esteja presente na realidade digital. Nas redes, essa intolerância não costuma aparecer diretamente contra pessoas com deficiência, mas, sim, utilizando termos ou características desse grupo como uma forma de ofender os outros. Assim, palavras como “demente”, “retardado” e “down” aparecem muito, normalmente para xingar os outros. Geralmente, quem faz esse tipo de comentário acaba não tendo noção de como isso é ofensivo para pessoas com alguma deficiência. Ou seja, ao querer ofender alguém ou um grupo, acabam atingindo todas as pessoas que sofrem com a deficiência.

Quem faz esse tipo de comentário acaba não tendo noção de como isso é ofensivo para pessoas com alguma deficiência.

De acordo com o IBGE, 6,2% da população brasileira tem algum tipo de deficiência e, além de conviver com as dificuldades estruturais relacionadas a isso, com a questão da inclusão social e da acessibilidade, precisa enfrentar esse tipo de comentário ofensivo.

Mesmo não estando no foco das discussões sobre preconceito na internet, esse foi o tipo de intolerância com a maior quantidade de menções captadas neste estudo, com mais de 45 mil comentários no período analisado. A variação na quantidade com relação ao primeiro dossiê, no entanto, não foi muito considerável, já que em 2016 foram capturadas 40.801 menções.

Sentimentação

 
A análise por sentimento mostra como esse cenário é complicado. Menos de 1% das menções foram consideradas positivas, ou seja, combatendo esse tipo de intolerância. Por outro lado, 90,1% dos comentários foram negativos, com mais de 99% destes utilizando termos relacionados às deficiências para ofender os outros, o que mostra como muitas pessoas não têm noção de que, ao usar esses termos, elas estão desrespeitando e ofendendo seriamente pessoas que já sofrem com as limitações de suas deficiências.

Além disso, 9% das postagens foram neutras, sem um posicionamento claro. Números de certa forma parecidos com os do primeiro dossiê, quando 93,4% das menções foram negativas.

Gênero

 
Com relação ao gênero, 51,7% dos comentários foram feitos por mulheres, enquanto os homens ficaram com 48,3%, o que configura empate técnico, dentro da margem de erro.

Mapa do Brasil

 
O Estado com o maior número de menções sobre deficiência foi o Rio de Janeiro, seguido por São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo.

Tipos de menções

 
Já com relação aos tipos das menções, as opiniões ficaram com a maior parte dos comentários, somando 66,7% das menções. Já os depoimentos tiveram 18,2%, os compartilhamentos 15% e as notícias com apenas 0,1% do total.

Visível x Invisível

 
A maioria absoluta das menções captadas foi considerada visível, ou seja, comentários que visavam ofender de maneira explícita e direta, com nada menos que 94% do total. Isso mostra como boa parte das pessoas que fazem comentários intolerantes relacionados à deficiência nas redes utiliza esses termos como xingamento sem a menor cerimônia.

No primeiro dossiê, as visíveis também foram maioria, porém com uma margem menor, com 76% do total das menções, contra 24% das invisíveis.

Real x Abstrato

 
Já com relação aos comentários serem reais, contra uma pessoa específica, ou abstratos, contra todo um grupo, ocorreu um empate pela margem de erro. As menções abstratas aparecem com 51,4% do total, enquanto as reais com 48,6%. Os dados diferem do que foi registrado no primeiro levantamento, quando 67,1% das menções foram reais, contra 32,9% das abstratas.

Grafo de conexões

 
O grafo dá conta das conexões entre usuários que utilizaram os termos relacionados ao tipo de intolerância analisado. Assim, é possível ver como o tema aparece nas redes e quem são os principais influenciadores. Cada ponto é uma pessoa em uma determinada rede e as cores indicam cada cluster. Para analisar as conexões e cada usuário, clique no grafo.

Nuvem de termos

 
A nuvem de termos mostra quais as palavras com maior repetição nos comentários.

Exemplos de intolerância coletadas nas redes