5. Causas e consequências

Lixo não dá em árvore e não desaparece sozinho

Nas redes sociais, pouco se fala sobre as verdadeiras causas e consequências dos problemas gerados pelo lixo. Como tudo nas redes, as críticas ou opiniões são superficiais. É comum ver gente reclamando de pessoas que jogam lixo no chão, mas não de discussões sobre soluções do problema. A conversa sobre lixo, no geral, tange apenas o visível, o que acontece perto das pessoas. No Brasil, por não termos incentivos para cuidar dos nossos resíduos, a conscientização é fundamental para construção de uma sociedade de fato sustentável e para preservação das faunas e floras.

O século XXI nos trouxe incríveis inovações, mas também nos deu um presente nada agradável: uma gigantesca e sufocante produção de lixo. Estamos acostumados a trocar de celular a cada seis meses; se o sofá tem um furo, vai pra rua; ninguém mais arruma nada, tudo se substitui. O fim é o mesmo: tudo acaba virando lixo. Esses fatores, aliados a uma sociedade que não foi instruída a cuidar dos seus resíduos, como reciclar, por exemplo, resultam na formação de uma grande bola de neve (ou de lixo) que começa a ameaçar a vida na terra.

As consequências de tudo isso são mais graves do que se imagina. Não só nos problemas visíveis nas grandes cidades, como os lixões e alagamentos, o lixo tem grande responsabilidade na poluição dos mares e das matas e, consequentemente, da morte de incontáveis animais marinhos e terrestres. Os problemas não acabam aí. O mal destino do lixo tem também contribuído para a proliferação de doenças, como a dengue, febre amarela, chikungunya e zika, só para falar das mais noticiadas nos últimos tempos.

A atitude de frear esse monstro do lixo não começa por ninguém, além de você.

As principais causas citadas nas redes

As causas para tantos problemas com o lixo são muitas: comportamentos errados, falta de estrutura ou pouca conscientização são alguns dos fatores. Mas nas redes as causas citadas foram apenas o lixo jogado na rua (39,6%) e nas praias (60,4%).

As principais consequências citadas nas redes

Alagamentos

Da mesma maneira que as causas, as consequências dos problemas gerados pelo lixo também são muitas, mas nas redes apenas uma chamou a atenção dos usuários: os alagamentos, que somaram 48,5% das menções do monitoramento. Foram deixados de lado problemas importantes, como os lixões e as doenças geradas pelo acúmulo de lixo.

Sobre os alagamentos, 86% se formaram de notícias e de compartilhamentos, mais uma vez deixando nítida a ausência de opiniões e relatos, que somaram apenas 12,5%.

Nuvem de termos

O tamanho de cada palavra é proporcional à frequência de postagens durante o período analisado.