Loading...
Dossie_CQM Created with Sketch.

Dossiês recentes

Capítulo 6

Soluções e conscientização

Um caminho para sustentabilidade

Não existe uma fórmula mágica para acabar com os problemas gerados pelo lixo. Hoje, graças à tecnologia, às políticas públicas e à educação, é possível reduzir os danos causados pelo lixo.

 

Entretanto, o cenário do Brasil não é um dos mais animadores, principalmente quando o assunto é reciclagem e tratamento. São jogados todos os dias 76 milhões de toneladas de lixo. 30% poderiam ser reaproveitados, porém somente 3% do total passa por um processo de reciclagem adequada. Falta de incentivo público? Falta de conscientização? Ou seria a ausência de debate?

A solução não vem do dia para a noite. O assunto deve entrar em pauta, ser discutido, ganhar visibilidade, para, quem sabe, mudar de maneira gradual a nossa cultura em relação ao descarte consciente.

Nota-se, com o monitoramento, que não há uma polarização no debate. 34,4% das menções são positivas, contra 0,5% de menções negativas, isto é, quase ninguém reclama ou tem algo contra a reciclagem. Porém, nota-se que 65,1% das menções são neutras, não expressam opinião sobre o assunto; são notícias, retweets, piadas e comentários. O brasileiro não acha ruim a coleta seletiva, mas, por outro lado, não possui conhecimento para discutir o assunto.

Todo mundo sabe e concorda que a reciclagem e o descarte correto são ações importantes. Mas por que temos pessoas cometendo esses pequenos atos falhos? Por que temos que defender o óbvio? Por que ninguém se enxerga como vilão?

O Twitter é a rede social mais utilizada quando o assunto é reciclagem, 69,9%. Importante destacar a utilização do Instagram, 25,8% das menções, um número gigantesco se compararmos com os demais monitoramentos. A grande quantidade de menções nessa rede está associada à maneira que é usada, com um grande número de postagens com a hashtag #reciclagem, pessoas e/ou perfis que mostram reciclagens cotidianas, como vasinhos de planta, itens decorativos, customização de roupa, utensílios domésticos, jardinagem, etc.

Vaso de flores feito com pneu velho

As menções mais comuns, 33,5%, são piadas e brincadeiras com o assunto reciclagem. Logo em seguida, com 27,6%, temos menções relacionadas a relatos pessoais sobre o tema. Em terceiro lugar, com 26,7%, notícias. Em menor porcentagem temos compartilhamentos (7,4%) e opiniões (4,8%).

Quando as menções foram categorizadas por assunto, a principal solução citada pelos internautas foi a da reciclagem, com 25,8%. As dicas sobre reciclagem também tiveram um bom espaço na discussão, com 19,8%. O lado negativo ficou com a quantidade de piadas sobre o tema, desqualificando o debate, com 20,4%.

Gráfico de conexões

Um pouco diferente do que ocorreu com o lixo urbano, o gráfico de conexões de reciclagem apresentou um pouco mais de capilaridade, com algumas menções conseguindo um maior alcance, com mais compartilhamentos e, consequentemente, fomentando uma maior discussão.

Verde – centro – em cima: @viniciuscomentv
Roxo – esquerda – canto superior: @bibialarcao0601
Vermelho – esquerda – canto inferior: @hatelieber
Roxo – direita – canto inferior: @claudiotognolli

É possível reduzir os danos causados pelo lixo

Conceito de reuso no vestido que utiliza saco de lixo reciclável e fita adesiva em sua confecção

As menções sobre reciclagem estão bem distribuídas durante o dia; há um aumento a partir das 10h, atingindo o pico às 23h, caindo novamente durante o período da madrugada.

Já na média por dia da semana, as segundas e terças-feiras foram os dias com mais comentários. Além disso, foi possível observar uma queda considerável nos fins de semana.

Se no geral do monitoramento São Paulo ficou à frente do Rio de Janeiro no número de menções, quando o assunto é reciclagem, a situação se inverteu, com os fluminenses falando mais sobre o tema.

Nuvem de termos

O tamanho de cada palavra é proporcional à frequência de postagens durante o período analisado.

Piso emborrachado fabricado com borracha de pneu usado